Lei de Gerson ‘patrimônio’ do Brasil!





Por Lucas Tomas
Observamos na sociedade brasileira um sentimento hedonista onde importa apenas satisfazer necessidades próprias, sem levar em conta conceitos éticos ou morais. Percebemos cidadãos com atitudes passivas de suspeitas em todos os ambitos sociais, do rico ao pobre, onde o que importa é apenas levar vantagem, mesmo que um terceiro seja prejudicado.

Ha algumas décadas atrás, mais precisamente nos anos 70, foi veiculado nas redes de televisão de todo o país um comercial do cigarro Vila Rica, protagonizado pelo ex-jogador da seleção brasileira Gérson. A propaganda fazia referencia à marca dando conotação de vantagem pelo seu preço menor. Onde o jogador dizia: “E quem não gosta de levar vantagem em tudo?”. Com o passar dos anos, os frequentes escândalos corruptos protagonizados no Brasil, transformaram o famoso jargão em símbolo de ética, ou melhor, a falta dela.

Ao longo da história do nosso país vemos todas as esferas governamentais serem infectadas pelo vírus da indecência. Onde todos os tipos de críticas tornam-se piada nacional, corrompendo as estruturas da nação. Este vírus gera uma doença grave, chamada Lei de Gérson, com sintomas claros, fortes, aparentes e contagiosos, como: Corrupção passiva, egoísmo, manipulação, impunidade, entre outros.

A ‘Gersonite Aguda’ começou a infectar o Brasil a mais de 500 anos, quando foram trazidos refugiados portugueses para colonizar nossas terras. Assim como muitas outras enfermidades que desafiam a saúde pública, ainda não tem cura, mas tratamento. O modo de combatê-la depende primeiramente do interesse das pessoas próximas aos infectados, já que os portadores da cura são os grandes doentes.

Nossa população já demonstrou vontade em cobater às chagas sociais, como em 1992 onde a sociedade foi à rua e apeou Collor de Mello e sua trupe do poder. Muitos acreditaram que este ato mútuo representaria a cura da ‘Gersonite Aguda’, porém vimos mais uma vez que ela é forte, consistente e mutável. Tendo seu maior alvo de infecção o poder!

Portanto, não se deixe enganar, todos no poder tem rabo preso, onde a impunidade escoa solta no ‘proprinoduto’ da governança brasileira!